Elementos franceses em “A Bela e a Fera”

7 de abril de 2017 às 17:59

Por Beatriz Prieto

Depois da animação lançada há 26 anos, a Disney resolve surpreender e fazer um filme live-action, ou seja, com atores de carne e osso para interpretar a Bela, a Fera, e todas as outras personagens que compõem o enredo do clássico conto. Revisitada diversas vezes, a história já ganhou outras montagens cinematográficas, uma inclusive dirigida por Jean Cocteau, em 1946. Dessa vez, o elenco composto por nomes como Emma Watson e Emma Thompson colaborou para que a trama ganhasse ainda mais destaque, alcançando uma bilheteria que ultrapassa 100 milhões no Brasil, com 600 salas de cinema prontas para receber os fãs apegados à nostalgia dos contos de fadas. A produção envolve alguns elementos franceses, que detalhamos a seguir:

O Cenário

1_conques

O vilarejo francês de Conques-Marcillac, embrenhado nas montanhas da região de Midi-Pyrénées, ao sul do país, foi usado como inspiração para a montagem do cenário. Gravado próximo a Londres, nos estúdios de Shepperton, a ambientação se baseou nessa cidade de pedra, bem ao estilo românico, que recebe constantemente peregrinos do Caminho de Santiago de Compostela, já que é parte da rota.

conques-2

Conques abriga poucos moradores, e tem o selo Les Plus Beaux Villages de France, que seleciona criteriosamente os mais belos vilarejos franceses – você pode ver outros aqui. O castelo da Fera também traz o estilo rococó francês, e lustres baseados nos que adornam o Château de Versailles.  

conques-3

Conto originalmente francês

belle-be%cc%82te-conte

Conto publicado no Magasin des Petits Enfants por Madame Leprince de Beaumont

A escritora francesa Madame de Villeneuve foi quem escreveu a versão original de A Bela e a Fera, publicada no século 18. Anos mais tarde, Madame de Beaumont quis encurtar a trama e as personagens, adaptando a história e tornando-a famosa. Os filmes, no entanto, adotaram detalhes mais fantasiosos, que não estavam nos escritos originais, como as mobílias falantes. As releituras são incontáveis, feitas por vários países, mas a origem da trama, oui, é francesa!

Versão francesa versus Versões Americanas

a-bela-e-a-fera-la-bella-et-a-bete-vincent-cassel-imagem-06

La Belle et la Bête, a versão francesa 

A Disney aproveitou o conto para produzir duas versões bem distintas: a animação de 1991, e o live-action de 2017, com Emma Watson no papel de Bela. A atriz, engajada e feminista, fez alguns pedidos, como não usar a indumentária feminina da época, que incluía o espartilho, e também que Bela tivesse um protagonismo maior no enredo, sendo inventora de uma máquina de lavar que acaba ajudando as mulheres do vilarejo. Já a animação de 1991 recebeu 5 indicações ao Oscar, sendo o primeiro desenho a receber indicação de melhor filme, e até hoje tem lugar no imaginário dos jovens. Mas há ainda uma releitura francesa, na qual Léa Seydoux toma o papel principal, e que recebeu 3 indicações ao prêmio César, o Oscar francês. Neste filme, também cheio de efeitos especiais, a história ganha ares mais sombrios, mantendo um clima místico, contando até mesmo com uma cartomante no elenco.

a-bela-e-a-fera

Beauty and the Beast, a versão americana