Como economizar em um restaurante Michelin

20 de fevereiro de 2017 às 11:06

Por Beatriz Prieto

O Guia Michelin é como uma bíblia de restaurantes de qualidade: todos os anos, profissionais da gastronomia experimentam os mais diversos temperos e sabores para poderem avaliar, anonimamente, as boas mesas ao redor do mundo. A prática já acontece desde 1900, ano em que a empresa de pneus Michelin começou a condecorar os restaurantes melhor avaliados com suas tão prestigiadas estrelas.

A França, um dos países que mais se destacam nas edições do guia, teve, no começo de fevereiro, outros 70 restaurantes escolhidos para fazer parte de seu métier da fama: o Le 1947, do chef Yannick Alléno, o único a ostentar 3 estrelas, além de outros 12 com duas, e 57 com uma. Ao todo, são 70 novos estabelecimentos condecorados este ano.  

A seleção dos meilleurs restaurants conta com cinco critérios especiais, sendo eles a qualidade dos produtos utilizados, a personalidade da cozinha, o domínio dos cozimentos e dos sabores, a relação qualidade/preço, e a regularidade. O falatório sobre quem serão os ganhadores das estrelas não passa batido, e a curiosidade em conhecer os vencedores é natural, afinal, o atestado de que vale a pena já foi dado. Mas como poder desfrutar de um restaurante Michelin sem sobrecarregar o bolso? Listamos aqui algumas dicas. Bon appétit!

Peça pelo menu

istock-159043842

Pode ser tentador dar uma olhada nas opções à la carte, mas a melhor forma de poupar dinheiro é pedir o menu du jour, também chamado formule, que inclui dois ou mais pratos, sendo eles a entrada, prato principal e sobremesa. Essa combinação costuma ser mais barata do que os pratos à la carte, que não tem uma saída tão rápida como os do menu. Outro adendo é saber que você terá ingredientes frescos e da estação em seu prato, além de poder ganhar um cafézinho, ou um apéritif – bebida alcoólica para abrir o apetite -, em alguns estabelecimentos mais generosos.

Prefira almoçar durante os dias de semana

istock-495696608-1

Os restaurantes aproveitam o intenso movimento do final de semana para aumentarem seu preço, e isso é ainda mais notável durante a noite, momento em que as pessoas preferem investir em uma refeição mais sofisticada. Para evitar a inflação dos valores e a fila de espera, vá durante os dias da semana, no almoço, e prefira algo mais informal ao anoitecer.

Economize na bebida

istock-516636180

Para matar a sede, tente dispensar a taça de vinho – só de vez em quando! – e peça uma carafe d’eau, em português, garrafa de água. Dos mais estrelados restaurantes até os mais modestos, todos oferecem essa possibilidade, e gratuitamente dão uma garrafa de água potável, mesmo que de torneira, a quem pedir. Parece estranho para os brasileiros, mas por lá a água de torneira pode ser consumida sem risco e sem custo.

Pesquise bastante

istock-500840500
O ideal é pesquisar os ganhadores, que você pode ver aqui, e entrar no site de seu restaurante dos sonhos antes de ter alguma surpresa quando ver o menu. No caso do único três estrelas de 2017, o Le 1947, em Courchevel, os preços começam em intimidantes  €170. Já para os de uma estrela, como O Restaurant H, em Paris, o menu en 3 temps sai ao custo de  €30. A diferença de preço é gritante, e você poderá dizer que já desfrutou de um Michelin da mesma forma.