Pular para o conteúdo

A influência do iluminismo no Brasil

19 de abril de 2022 às 18:05

O Iluminismo do século XVIII foi o principal pensamento que inspirou os processos de independência nas Américas.

No caso do Brasil, o iluminismo serviu de base para os movimentos contra o colonialismo português, entre eles: a Inconfidência Mineira de 1789, a Conjuração Fluminense de 1794, a Revolta dos Alfaiates de 1798 na Bahia e a Revolução Pernambucana de 1817. As ideias iluministas foram decisivas para a Independência do Brasil, proclamada em 1822.

Como o iluminismo chegou no Brasil?

As ideias iluministas chegaram ao Brasil no século XVIII, através de brasileiros da classe alta, que haviam estudado em universidades da Europa e tiveram contato com as teorias e pensamentos.
As propostas dos iluministas também se fundiram pelo mundo graças à “Enciclopédia”. Esta volumosa obra, organizada pelos iluministas Diderot e D’Alembert e escrita por grandes pensadores e cientistas, sintetizava o conhecimento e as ideias vigentes na época.

O que foi o iluminismo?

O Iluminismo foi um movimento intelectual, filosófico e cultural que surgiu durante os séculos XVII e XVIII na Europa e defendia o uso da razão contra o antigo regime e pregava maior liberdade econômica e política. Este movimento promoveu mudanças políticas, econômicas e sociais, baseadas nos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade.
Os filósofos e economistas que difundiam essas ideias julgavam-se propagadores da luz e do conhecimento, sendo, por isso, chamados de iluministas.

Principais características do iluminismo

1 – Uso da razão para alcançar a verdade e o conhecimento;
2 – Conhecimento pela ciência;
3 – Liberdade religiosa, de pensamento e expressão;
4 – Oposição ao Absolutismo, ao Mercantilismo, as vantagens da nobreza e a igreja católica;
5 – Defesa de maior liberdade política e econômica (sem interferência do Estado).

Quais foram os principais pensadores do Iluminismo francês?

 

Voltaire

François Marie Arouet (Voltaire) (1694-1778)

Foi o maior dos filósofos iluministas e um dos maiores críticos do Antigo Regime e da Igreja. Defendeu a liberdade de pensamento e de expressão, era a favor de uma monarquia esclarecida, na qual o governante fizesse reformas influenciadas pelas ideias iluministas.

 

Jean-Jacques Rousseau

Jean-Jacques Rousseau (1712-1778)

Jean Jacques Rousseau foi um dos principais influenciadores da formação do pensamento político e educacional moderno. Considerava os homens bons por natureza e capazes de viver em harmonia, não fosse alguns terem se apoderado da terra, dando origem à desigualdade e aos conflitos sociais. Propunha um governo no qual o povo participasse politicamente e a vontade da maioria determinasse as decisões políticas. Expôs suas ideias principalmente em duas obras: “O contrato social” e “Discurso sobre a origem da desigualdade”.

 

montesquieu

 

Montesquieu (1689-1755)

Conhecido principalmente pela sua teoria de separação de poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário), o filósofo francês fez parte da primeira geração de pensadores iluministas e atuou principalmente no ramo da política e da psicologia. Foi um crítico do absolutismo e do catolicismo e defensor da democracia.

 

Denis Diderot

Denis Diderot (1713-1784)

Devemos a este escritor e filósofo iluminista francês a criação da primeira enciclopédia do mundo. Como um grande defensor da expansão do conhecimento, o escritor passou boa parte da sua vida organizando pensamentos e conhecimentos da época, para divulgar a filosofia iluminista no mundo.

 

LEIA MAIS:
TOP 5: CLÁSSICOS FRANCESES QUE TODOS DEVERIAM LER
TOP 3: CURIOSIDADES SOBRE O REVOLUCIONÁRIO ROBESPIERRE
TOP 5: FRANCESAS QUE LUTARAM PELOS DIREITOS DAS MULHERES