Pular para o conteúdo

Como foi o show da ZAZ em São Paulo

3 de abril de 2017 às 18:00

Por Beatriz Prieto (texto e fotos)

ZAZ não demorou muito a aparecer e diminuir a ansiedade dos fãs, já apertados contra a grade que dividia a plateia do palco. O show marcado para começar às 21h, no Espaço das Américas, teve no máximo 20 minutos de atraso, e o público, bem diverso, feito de casais de namorados, jovens e famílias, começou a vibrar quando a francesa entrou pulando, bem animada. Munida de um vestido colorido e de um coturno marrom bem descolado, ela pôde correr, dançar e fazer de tudo para interagir com os fãs  e “esquentar” a apresentação.

img_9485

Logo no início, começou a fazer um som um tanto quanto diferente, que saía de um instrumento musical chamado teremim, que capta as frequências produzidas pelo movimento das mãos do músico e as transformam em som. Très curieux! O ruído, bem eletrônico, serviu como uma introdução, criando um primeiro contato com a platéia.

img_9439

Depois, vieram algumas canções como “Paris sera toujours Paris”, cantada meio a projeções da Tour Eiffel, e outros ícones como o Arc de Triomphe. O show trouxe canções dos três álbuns da cantora, e ZAZ não ficou em sua zona de conforto cantando só em francês. Arriscou um espanhol quando se dirigia à plateia pedindo que cantassem “más fuerte”, e também na canção “Dos gardenias para ti”, que surpreendeu pelo espanhol irretocável e afinação. Ela também fez questão de se agachar e ler um papel com algumas frases em português, dizendo que estava muito feliz em estar no Brasil, e agradecendo a simpatia do público.

img_9509

ZAZ agradecendo a plateia em português 

Ainda disposta a conversar com a plateia, perguntou quem sabia falar francês, e uma grande maioria levantou os braços afirmando o domínio do idioma. Enquanto cantava, era fácil ouvir o coro dos fãs, que demonstravam um ótimo conhecimento da letra, e mesmo quem ficava mais acanhado durante as músicas, arriscava um “la meilleure” em voz alta, durante os intervalos.

img_9560

ZAZ em clima descontraído com a banda 

A interação com a banda, composta por um trompetista, contrabaixista, tecladista, baterista e violonista era notável, e ZAZ provocava os músicos com brincadeiras espontâneas, mostrando-se bem à vontade com o jazz animado que conseguiam criar com os instrumentos. Mesclando canções lentas, como “Sous le Ciel de Paris”, ótimas para dançar a dois, e outras mais agitadas, como “Les Passants” e “On Ira”, a mescla de estilos foi bem explorada. As projeções e a iluminação seguiram enfeitando o show até o fim, por volta das 23h15, e a despedida foi calorosa, assim como ZAZ lidou com o público durante todo o show. Bravo! 

img_9514

Para matar a saudade, fica como recordação a setlist do show \o/

set-list-zaz